Guia do teste do pezinho: passo a passo do exame

A triagem neonatal dos Erros Inatos da Imunidade por meio do teste do pezinho deve sempre ser colocada em primeiro lugar


De acordo com Antonio Condino-Neto, presidente do Departamento de Imunologia da Sociedade Brasileira de Pediatria e coordenador do Laboratório de Imunologia Humana do ICB-USP, a triagem neonatal dos Erros Inatos da Imunidade por meio do teste do pezinho é importante para os recém-nascidos e deve sempre ser colocada em primeiro lugar.


Diante disso, o médico, que também é sócio-fundador da Immunogenic, laboratório especializado em triagem neonatal dos Erros Inatos da Imunidade por meio do teste do pezinho, preparou um guia explicando e detalhando o passo a passo do exame.

Importância: o teste do pezinho permite identificar doenças graves assintomáticas ao nascimento e que podem causar sérios danos à saúde, caso não sejam diagnosticadas e tratadas precocemente.

Valor e obrigatoriedade: o teste do pezinho é gratuito e obrigatório por lei em todo o território brasileiro.


Período e público-alvo: o teste do pezinho deve ser realizado entre o 3º e 5º dia após o nascimento do bebê, pois as primeiras horas de vida de um recém-nascido são determinantes para a eventual descoberta de enfermidades, especialmente, doenças relacionadas à imunodeficiência primária.


Local: o teste do pezinho pode ser feito diretamente nas maternidades, logo após o parto e antes da alta hospitalar. Porém, é preciso checar se a maternidade em questão oferece o exame. Caso contrário, é possível realizar o teste do pezinho nos postos de saúde do município.


Nova lei: até maio de 2021, o teste do pezinho englobava apenas seis doenças, mas o projeto de lei que foi sancionado pelo Governo Federal, ampliou o número de doenças rastreadas para 50. O Sistema Único de Saúde (SUS) ficou responsável por implementar o Teste do Pezinho Ampliado ao longo de quatro anos.


Tipo de exame: os pais devem ficar atentos ao tipo de exame que é fornecido na cidade de origem e procurar saber dos testes oferecidos na rede privada também. É preciso se informar sobre o número de doenças incluídas.


0 comentário